O perfil do Analista de Mídias Sociais é sempre uma pauta discutida quando as Instituições de Ensino Superior consideram esses canais como uma possibilidade de comunicação e relacionamento. Qual o perfil ideal? Deve-se ter uma pessoa interna? Quais atribuições o profissional deve ter?

Por se tratar de um assunto novo, ele vem sempre acompanhado de dúvidas das mais diversas. Nossa experiência em projetos realizados em parte das IES brasileiras comprova que a comunicação com o aluno não deve ser terceirizada. No entanto, hoje trataremos exclusivamente sobre o perfil do analista,  aprofundando a reflexão sobre as diferenças entre desenvolvimento de equipe interna e terceirização da comunicação e relacionamento em um próximo post.

Especialmente no mercado educacional, é interessante que o profissional que fará a gestão dos perfis online reúna um conjunto de competências, habilidades e atitudes (CHA) que esteja alinhado ao negócio acadêmico e também ao contexto da IES. Aqui está o diferencial da linha estratégica a ser adotada, pois as pessoas responsáveis pelo trabalho analítico das mídias sociais terão conhecimento profundo da cultura organizacional e de todos os setores que a compõem.

As Faculdades, Centros Universitários e Universidades têm disponível uma comunidade vasta em conhecimento. Isso significa que as IES podem e devem aproveitar os profissionais que formam a cada semestre. O seu aluno conhece o sistema acadêmico, acessa o site, procura a central de atendimento, vai à biblioteca e conversa com o coordenador e professores do curso. Ele conhece profundamente os meandros da instituição e deseja excelência e reconhecimento da comunidade. É esse aluno quem poderá desenvolver e potencializar o relacionamento com prospects, algo na linha “deles” para “eles”. Por que não trazê-lo para mais perto, fomentando, inclusive, uma política de empregabilidade?

Indo um pouco mais além, pode-se pensar em desenvolver uma área para o projeto de Redes Sociais compondo uma equipe multidisciplinar que trará resultados espetaculares do ponto de vista da gestão de marca, captação e retenção.

Analista de redes sociais nas Instituições de Ensino

Destacamos alguns questionamentos que podem ajudar ao gestor de marketing ou de mídias sociais em instituições de ensino:

  • Podemos trazer um aluno ou ex-aluno para a equipe de colaboradores?
  • Haverá um profissional único ou uma equipe?
  • Como institucionalizar o projeto afim de obter recursos junto à mantenedora?
  • As atividades e funções já foram institucionalizadas ou necessito contratar consultoria com expertise para ajudar minha IES?
  • Faremos a alimentação e monitoramento desses canais? Como?

Para ajudar, a equipe Planeta Y propõe um perfil para o Analista de Mídias Sociais de Instituições de Ensino:

Conhecimentos:

  • Conceito básico de Redes Sociais
  • Principais plataformas de interação (mídias sociais)
  • Gramática e Ortografia
  • Cross-media
  • Crowdsourcing
  • Pesquisa de Mercado
  • Cultura Organizacional
  • Planejamento Estratégico da IES
  • Departamentos, áreas e responsáveis da IES
  • Marketing Educacional
  • Indicadores do MEC
  • SAC 2.0
  • Conceitos básicos de geolocalização;
  • Conceitos básicos de CRM (desejável, de acordo com a estratégia da IES);
  • Outra língua (desejável, pois há concentração de referências qualificadas sobre o tema ainda não traduzidas para português);

Habilidades:

  • Visão sistêmica
  • Disciplina
  • Organização
  • Comunicação
  • Negociação
  • Resiliência

Atitudes:

  • Antecipação e pró-atividade
  • Interesse
  • Curiosidade
  • Empatia
  • Zelo
  • Atenção
  • Bom senso
  • Inquietude
  • Empreendedorismo
Nathália Simões: